quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Drácula - Bram Stoker


STOKER, Bram. Drácula. Porto Alegre: L&PM, 2009.  Título original: Dracula. 552 p.

 Drácula é um romance de terror escrito por Bram Stoker e publicado em 1897. O livro narra a caçada de um grupo de pessoas ao terrível Conde Drácula, um vampiro cruel e sanguinário. O romance inspirou todas as histórias de vampiros que conhecemos hoje.
A história começa com a viagem de Jonathan Harker à Transilvânia para tratar de negócios. Ele se hospeda no castelo do Conde Drácula que deseja adquirir propriedades na Inglaterra. A estadia no castelo torna-se cada vez mais longa a pedido do anfitrião e logo Jonathan Harker se vê prisioneiro de Drácula que esconde muitos segredos.

Mas agora não sinto inspiração para descrever tanta beleza. Por isso, prossegui sem parar na minha exploração. Portas, portas e mais portas. Espalhadas para todos os lados, mas todas fechadas e retrancadas. Em algum lugar, salvo através das janelas externas do castelo pode haver uma possibilidade de escapar.
Em outras palavras: o castelo é uma verdadeira prisão e eu agora sou o seu prisioneiro! (Jonathan Harker) p.44

Jonathan descobre que seres terríveis habitam o castelo, como mulheres sedutoras que se alimentam de sangue humano e se dá conta de que Drácula também é um deles.

Que espécie de homem será esse, ou que tipo de criatura ou simples fera está ali oculta sob as feições de um homem? Sinto o terror deste demoníaco lugar aniquilar-me. Estou em pânico - em pânico mortal - e não há uma saída para mim. Estou imobilizado por uma rede de terror sobre a qual o meu cérebro se nega a raciocinar. (Jonathan Harker a respeito de Drácula) p. 55

Jonathan consegue fugir depois de meses sofrendo na mão de Drácula, aproveitando-se de uma viagem de seu anfitrião. Seu cabelo torna-se grisalho por causa do sofrimento e ele está muito abalado. Os sentimentos de Jonathan são muito bem explorados e o livro é cheio de descrições muito bonitas.

Sem que tenha sido vergastado por todos os terríveis sofrimentos que a noite nos nos aflige, ninguém pode avaliar com exatidão como são doces e sutis para o nosso coração e caros para os nossos olhos os primeiros clarões da alvorada. (Jonathan Harker) p. 71

Enquanto Jonathan está fora do país, sua noiva Mina se hospeda na casa da amiga Lucy Westerna que está excitadíssima com os três pedidos de casamento que recebeu. Mas a felicidade de Lucy não dura muito. Uma criatura monstruosa a ataca toda a noite e suga seu sangue. Ela passa a ter febre, delírios constantes e mudanças de comportamento. Ninguém ainda sabe o que aflige Lucy. O Dr. van Helsing, especialista em doenças raras e misteriosas é chamado pelo Dr. Seward, médico e um dos pretendentes de Lucy, para descobrir o que está acontecendo com ela. Van Helsing reconhece que se trata de um vampiro e que ela também está se tornando um deles.
Com a volta de Jonathan depois de conseguir fugir do cativeiro, ele e Mina se casam. Após conversarem com van Helsing, chegam à conclusão de que quem atacou Lucy foi o Conde Drácula. Mina, Jonathan, Dr. van Helsing, Dr. Seward e os outros dois pretendentes de Lucy se juntam numa caçada para destruir o Conde Drácula.

Drácula é um romance epistolar, ou seja, escrito através de cartas e diários, portanto é narrado em primeira pessoa, por diversos personagens. Isso é muito interessante porque conhecemos a história através de vários pontos de vista: Jonathan Harker, Dr. van Helsing, Dr. Seward, Mina Harker, Lucy Westenra, Arthur Holmwood entre outros. Porém, a narrativa peca, ao meu ver, em dois aspectos: primeiro porque não há pontos de vista do próprio Drácula, então não sabemos o que ele pensa, o que o move a ser o que é e se comportar daquele jeito; segundo que o livro é muito maniqueísta. Todos os personagens são muito bons e honestos, com exceção de Drácula que é o Mal encarnado. Mina Harker e Lucy são perfeitas -  lindas, doces, puras, virtuosas, honestas etc. Uma característica bem sexista da literatura daquela época, quando mulheres não podiam ter nenhum defeito ou seriam consideradas indignas. O livro é cheio de expressões como "pobre e doce Lucy", "a bondosa e pura Sra. Harker", "pobre Sr. Harker" etc. O que é muito irritante.

-Impura! Impura! Até o Altíssimo repudia minha carne! Terei que carregar esse estigma da minha maldição sobre a minha testa até o Dia do Juízo Final. (Mina) p. 435

Da sugestiva imagem dessa doce, terna e bondosa mulher em toda a radiante beleza de sua juventude e altivez, ainda embora conscientemente marcada com a cicatriz na testa, a qual inspirava uma vindita de ranger desdentes, sempre que nos lembrávamos de como chegara. Sua adorável ternura contra nosso estranhado ódio, sua inabalável fé contra as as nossas dúvidas e temores; e nós agora sabíamos, até onde os símbolos podiam alcançar, que ela, tão bem dotada de fé, bondade e pureza, fora excomungada por Deus. (Jonathan Harker sobre Mina Harker) p.451

Somente o Drácula é descrito como sendo o oposto dos outros personagens. Ele é terrível, um monstro, sádico, maligno etc. Drácula foi inspirado em Vlad III, o empalador, príncipe da Valáquia. Ele é conhecido pelas atrocidades que cometeu contra os inimigos. É apresentado no livro sem qualquer resquício de humanidade. Mas fiquei pensando: como seria um livro em que houvesse pontos de vistas de Drácula? Seria assim tão desprovido de caráter e virtudes?

Mina também é descrita como muito inteligente, culta e uma grande estrategista que ajuda no planejamento da caçada ao Drácula e faz importantes observações sobre ele.

- O Conde é um delinquente qualificado como criminoso típico. Nordau e Lombroso o qualificariam assim; e como criminoso, seu quadro mental apresenta lacunas e deformações. Daí, quando em dificuldade, não hesitar a recorrer aos seus hábitos. Seu passado já nos fornece um sólido indício, e a única página que conhecemos e na qual este passado está sintetizado, portanto colhida de seus próprios lábios diz-nos que uma vez, anteriormente, quando confinado numa área que o Sr. Morris chamou de "espaço exíguo", ele retornou do país que pretendera invadir para a sua própria terra. (Mina Harker) p. 499

O personagem mais interessante, na minha opinião, é o paciente do Dr. Seward, Renfield, um louco obcecado por sangue de animais. Em meio aos delírios, Renfield tem momentos de lucidez e parece entender Drácula como nenhuma outra pessoa na história.

- Na verdade, dedico a este assunto total indiferença. Meu ciclo vital satisfaz-me plenamente. Disponho de reservas suficientes. Agora, Doutor, se o senhor pretende prosseguir em seu estudo sobre a zoofagia vai ter que arranjar um novo paciente. (Renfield para o Dr. Seward) p. 397

- Não preciso de alma alguma! Sim, não preciso mesmo, não preciso! Jamais poderia utilizá-las, se as possuísse. Elas realmente não teriam nada que me pudesse dar. Não poderia alimentar-me com elas... (Renfield) p.398

-Sangue é vida! (Renfield)

Escrever esta resenha me deu muito trabalho, mas também muito prazer porque eu li Drácula no início deste ano, então tive que procurar as citações no livro para fundamentar minha opinião. Ainda assim eu devo ter deixado de lado muitas observações sobre o livro porque agora não me lembro mais, nem consegui achar as passagens. Bram Stoker faz críticas à sociedade inglesa, ao capitalismo e faz observações sobre religião. Tentei achar essas passagens no livro, mas não consegui.

Apesar de algumas falhas que apresenta, como eu já apontei, eu gostei muitíssimo do livro. É muito bem escrito, com uma linguagem clara (apesar do vocabulário antigo) e poética. Tensão e suspense estão presentes o tempo todo, dando uma atmosfera de terror que o autor queria. Eu senti o medo em cada um dos personagens, mesmo nos momentos em que estavam mais determinados e confiantes na caçada. Apesar de eu ter me irritado em alguns momentos, considero o livro excelente pela história que é muito boa e pela influência que exerceu sobre obras posteriores. Não é à toa que é considerado um clássico da literatura de terror.

Avaliação: ★★★★★ 

Filme: Drácula foi adaptado diversas vezes para o cinema. Eu me lembro de ter assistido uma adaptação bem antiga, mas não me lembro de que ano era, mas amo a adaptação do Coppola, apesar de ser tão diferente do livro. O filme, de 1992, é romântico, Drácula é mais humano e tem uma história de amor do passado que o levou a tornar-se um vampiro. Ele e Mina se apaixonam no filme, o que não acontece no romance de Bram Stoker. Após ser mordida por Drácula e beber seu sangue, Mina realmente passou a se sentir ligada a ele e a ver o que ele via, mas não existe nenhuma relação de amor ou admiração entre eles no livro. Confesso que, em um primeiro momento, eu me decepcionei um pouco com o livro porque, como fã do filme do Coppola, esperava encontrar elementos do filme nele. Eu gostei bastante da adaptação no roteiro. Mas são obras muito diferentes e recomendo tanto uma como outra. 
Gary Oldman, como Drácula, está impecável. E Anthony Hopkins como van Helsing está perfeito, como sempre. Ator como ele não existe! O filme ganhou vários prêmios técnicos como maquiagem, som, efeitos sonoros, figurinos etc. É um filme tecnicamente e visualmente maravilhoso e tem uma trilha sonora inesquecível!




Até a próxima.
Beijos.


Comente com o Facebook:

22 comentários:

  1. Já ouvi falar bastante do filme Dráculo,apesar de nunca o ter assitido.. não sabia que era livro :///
    Gostei bastante da sua resenha,fiquei curiosa!
    Beijo
    http://livrosleituraseafins.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sério? Esse livro deu origem ao que conhecemos como vampiro hoje em dia. Toda a mitologia sobre vampiros é baseada em Drácula e em Carmilla que eu também resenhei. :)

      Beijos

      Excluir
  2. Eu sempre tive curiosidade pra ler esse livro, e assistir o filme tb, mas nunca tive oportunidade pra isso. Nao sabia que o livro era escrito em forma de cartas e diarios.
    Acho que por mais que a historia seja boa (e clássica), eu não curto muito esse lance de personagens serem todos bons e puros... Acho que qto mais diferentes uns dos outros melhor. Fiquei com a impressão de que o autor ficou com preguiça de trabalhar a personalidade deles rsrsrsrsrs Colocou toda a bondade do mundo em todo mundo e deixou a podridão pro outro infeliz. Sabendo desse detalhe, não sei se leria... Acho que ficaria impaciente e de saco cheio.

    E antes que eu esqueça, adorei a resenha! :D

    Bjokas
    Flavia - Livros e Chocolate

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso é chato, mesmo. Mas assista ao filme. Os personagens são bem mais interessantes. Gostei mais do que do livro. Aliás eu amo o filme!!! Muito, muito, muito!!! ;)
      Obrigada! =D

      Beijos

      Excluir
  3. Ei Nádia,

    Eu li este livro a tipo... 10 anos atrás rsrs, não lembro mais de quase nada, uma pena. Para resenhar teria que reler, espero conseguir fazer isso um dia porque é um clássico do sobrenatural.
    Adorei as citações ^^

    bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Certamente. Já foi difícil resenhar tendo lido há aluguns meses. Tive que procurar tudo no livro hehe. Mas adorei essa "viagem" ao livro de novo. :)

      Beijos

      Excluir
  4. Oi Nádia!

    Eu vi o filme no cinema quando saiu (olha eu entregando a idade...;D) e gostei bastante. E por isso tentei ler o livro depois. Mas eu era muito nova, 14/15 anos, então não consegui terminar. Talvez se leia hoje eu veja de forma diferente. Tenho que tentar de novo.

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu gosto mais do filme. Os personagens são mais interessantes. A Mina não é tão pura e perfeita e o Drácula não é tão mau. E o romance deles é lindo hehe. Adoro o filme todo. Por causa dele comecei a gostar de vampiros. O livro tem umas coisas bem chatas, tinha hora que eu me cansava, mas eu gostei mesmo assim.

      Excluir
  5. Ah Drácula. Merece mesmo 5 estrelas e favoritismo rs
    Comissário Gordon *-* Ops, errei de filme hahaha
    Essa sim é uma das adaptações que eu mais gostei. Elenco perfeito e filme digno.
    Beijinhos,
    http://fulanaleitora.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Nadia, eu li Drácula e também resenhei, mas faz um tempão!!
    Confesso que as inúmeras adaptações para o cinema de Dráculas sensuais e másculos me deixaram meio decepcionada durante a leitura. Fazia uma ideia romanceada da história e ela está longe de pender para o romance.
    Bjks
    Alê

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, senti a mesma coisa. Mas gostei mesmo assim. :)
      Obrigada pela visita.
      Beijos

      Excluir
  7. Olá!
    Eu amei este livro, sério mesmo. Li ele tanto em português quanto em inglês, e amei ambas. Achei tão... cativante, a forma como foi escrita através de relatos em diários dos personagens, nem eles sabem o que estão enfrentando! Eu gostie, o filme eu achei horrível apesar de ter o Keanu Reeves no elenco, mas o livro eu gostei muito.
    Parabéns pela resenha
    Beijos

    Andressa
    umdiaacadalivro.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. AAAH para tudo produção : eu não li esse livro ainda!
    Fiquei curiosa com a sua resenha! Não sabia que ele era escrito dessa forma e...É um dos clássicos que eu desejo muuuuuito ler, rsrs
    Amei amei !
    Depois de Como se livrar de um vampiro apaixonado também fiquei com muitavontade mas ainda não achei ele, poxa :T
    Obrigada, viu, fofa? *o*
    Também estou seguindo o seu *o*
    Um beeeijo!
    Pâm
    http://interruptedreamer.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O livro é legal sim, mas nada romântico, só terror. Mas vale a pena pra conhecer a história. Ele é difícil de achar mesmo. O meu é da L&M Poket.
      Obrigadaaa. =)

      Beijo :*

      Excluir
  9. O Drácula de Bram Stoker é o meu preferido de todos os Dráculas que já apareceram.
    é completamente extasiante e emocionante. Tenho o dvd em casa e sempre assisto, sou uma fã nº 1.
    Livros Em Série.
    Passa lá!
    Manuscrito de Cabeceira
    Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah sim, afinal foi Bram Stoker quem criou a história e o personagem. ;)
      O filme foi dirigido por Coppola e é muito bom sim. Também tenho o DVD.
      Beijos.

      Excluir
  10. Drácula é um super clássico e merece fazer parte de qualquer estante.Faz bastante tempo em que li o livro,quero reler para reavivar minha mente.
    E o filme é fabuloso e foi bem premiado,preciso tê-lo em minha coleção de DVD's,afinal trata-se de um filme do Coppola,nem precisa dizer mais nada né?
    Adorei o post Nadia.
    Abraço!

    Bruno
    http://oexploradorcultural.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vale a pena ter o DVD sim e ler o livro novamente.
      Eu tive que reler umas partes pra fazer a resenha e adorei.
      Beijo

      Excluir
  11. oi,
    amei sua resenha
    eu tbm li esse livro e tenho resenha dele no blog.
    amei o livro e o filme!! é um clássico, todos deveriam ler

    http://www.lostgirlygirl.com

    bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade. Vale a muito a pena. :)
      Beijos

      Excluir
  12. Nossa nem acredito que vc resenhou esse livro, simplesmente amei, parabéns!!!
    Já vi o filme várias vezes e adoro.
    O livro comprei a pouco e estou mega curiosa para ler, não sabia que "não há pontos de vista do próprio Drácula" que pena =/
    Fica a dica: Quando vc estiver lendo pode ir marcando as partes importantes com umas tags que vendem em livrarias pq qnd vc for resenhar as partes importantes estarão indicadas.

    ResponderExcluir

Adoro comentários e respondo aqui mesmo, conforme eu vou lendo.
Gentileza gera gentileza.
=)