quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Estilhaça-me - Tahereh Mafi




MAFI, Tahereh. Estilhaça-me. Ribeirão Preto, SP: Novo Conceito Editora, 2012. Título original: 304p.

Estou aprisionada há 264 dias
Não tenho nada senão um caderno e uma caneta e os números na cabeça para me fazer companhia. Uma janela. Quatro paredes. Espaço de 1,48m². Vinte e seis letras de um alfabeto do qual não faço uso há 264 dias de isolamento. p.5

Juliette Ferrars está presa há 264 dias sem ver ninguém, sem tocar em outro ser humano. Ela tem 17 anos e desde os 14, quando os pais a abandonaram a entregaram, ela viveu em intituições, hospícios até que foi confinada. Sua única companhia é um caderno e uma caneta. Juliette tem um dom terrível incrível. Ele é letal poderoso.


O mundo foi dominado pelo Restabelecimento. O Restabelecimento acredita que as convicções, prioridades, preferências, religiões, ambição, excessos de gula etc foram responsáveis pela destruição da sociedade e acredita que o autocontrole, o minimalismo, a criação de uma linguagem simples, totalmente nova podem restabelecer a igualdade, a humanidade (oi 1984?).

Quando Juiette reencontra o colega de infância Adam, agora um soldado do Restabelecimento, as coisas começam a mudar. Juntos eles planejam fugir desse lugar horrível comandado por Warner que só pensa em possuir Juliette e torná-la uma arma mortal.

Sou uma gota de chuva.
Meus pais esvaziaram seus bolsos de mim e deixaram-me evaporar sobre uma laje de concreto. p.9

A história é narrada em primeira pessoa por Juliette e a forma que a autora utilizou para demonstrar a confusão mental de Juliette é muito interessante: palavras repetidas, outras riscadas e muitas metáforas. Achei isso muito legal e original, mas a originalidade para por aí. E não estou falando só da semelhança de Juliette com a Vampira de X-Men, isso é só um detalhe.

Eu gostei muito do livro no início. A linguagem é fluida, a história é tensa, mas ao mesmo tempo dinâmica, eletrizante, sedutora. Difícil parar de ler. A personagem principal, apesar de ser parecida com a Vampira, é bem construída e muito interessante, mas o livro todo é cheio de clichês. Primeiro que é cheio de semelhanças com X-Men e outros super heróis, como Quarteto Fantástico e Os Incríveis. Ela podia ao menos ter inventado uns poderes (e uniformes) diferentes... Além disso também chupa várias ideias distópicas de 1984, embora de forma muito superficial. Aliás isso foi outra coisa que me incomodou: achei que a distopia ficou em segundo plano. O início foi muito focado na confusão de Juliette, depois virou uma história de amor, até bem bonitinha e sexy, mas tirando o foco da ação, e no final virou uma cópia de X-Men. Eu esperava mais, bem mais.

- Claro que me lembro de você. - Minha voz é um sussurro estrangulado. Fecho os olhos. Lembro-me de você todos os dias, eternamente em cada simples momento da minha vida. Você foi o único que olhou pra mim como um ser humano. p.104

Espero que a autora consiga melhorar a história nos próximo livros da trilogia e eu vou pensar bem antes de me decidir lê-los. Não achei perda de tempo porque o livro é bem gostosinho de ler. Passa o tempo, distrai, mas a autora precisa amadurecer muito a ideia ainda. E como é seu primeiro romance e ela é só uma garota (como diz a orelha do livro) então tenho esperança de que os próximos livros da trilogia sejam melhores. Vale a pena se você busca um livro divertido, para se distrair, sem se preocupar com originalidade, nem profundidade.

Ahhh, a capa é linda e brilhosinha. Adorei rsrs.

Avaliação: ★★★

Até a próxima.
Beijos.

Comente com o Facebook:

21 comentários:

  1. Oi, flor.
    Eu adorei esse livro.
    Gostei bastante da história e a narrativa é muito boa. Eu li tão rápido que nem acreditei quando terminei rsrs
    Estou louca pela continuação :)
    Beijinhos
    http://fulanaleitora.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Adoro suas resenhas pq vc é bem sincera. Ganhei esse livro em uma promoção em um blog e até agora só tinha visto resenha elogiando, mas já tinha percebido essa semelhança com outras historias. É fato, hoje em dia é bem difícil encontrar livros originais, sempre são inspirados e não disfarçam isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se se inspirassem, mas criassem algo em cima tudo bem. Mas cópia na cara de pau não dá rsrs.
      Beijo

      Excluir
  3. Oi bonita! Eu não gostei taaanto desse livro, mas espero que melhore no segundo também! Tem selinho pra você lá no blog! Beijos, Nanda
    www.superbookaholic.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi Nadia!
    Eu tenho grande interesse em ler esse livro,quero tirar minhas conclusões a respeito da obra.Gostei da forma com que conduziu a resenha.
    Abraço!

    Bruno
    http://oexploradorcultural.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Oi linda, adorei o blog *-*
    Já estou seguindo, segue lá tbm?

    modaafemiinina.blogspot.com.br

    beeijos ;*

    ResponderExcluir
  6. Que moda eh essa de que tudo eh trilogia? Tem algum significado cabalístico? haha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahaha. Verdade. Se pelo menos tivesse conteúdo para três livros, mas umas trilogias bobinhas rsrs.

      Excluir
  7. Oi Nádia!

    Tenho visto resenhas desse livro em muitos lugares, a capa é bonita e chama a atenção, mas não sei porque não a minha ;D

    Eu adoro X-men e a Vampira em particular, e acho muito bacana as pessoas se inspirarem em outras histórias (afinal, nada se cria, tudo se copia), mas é preciso saber levar e em algum ponto, dar o grito de independência. Foi o que aconteceu por exemplo com Chrsitopher Paolini com Eragon. O primeiro é bem baseado em O Senhor dos Anéis, mas depois ele foi se afastando até que a história dele se sustentou por si só, e rendeu 4 livros delliciosos.

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acho que dá pra se inspirar sem copiar e esse livro é x-men em 1984 rsrs. Cópia mesmo dos dois com umas pitadas de outros heróis. É até gostosinho, mas sem criatividade nenhuma. Talvez eu leia as continuações pra ver se ela amadurece a ideia e cria algo surpreendente. Quem sabe. :)

      Beijo.

      Excluir
  8. Oi!
    Adorei conhecer seu blog!
    Seguindo!
    Beijos
    Rízia - Livroterapias
    http://livroterapias.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Comprei esse livro a algum tempo e me lembro que fiquei tão louca pra ler que agora tenho na estante e nem li ainda kkkk.
    A resenha ficou maravilhosa e espero ler logo. Todos adoraram.
    X Bienal Internacional do Livro do Ceará.
    Passa lá!
    Manuscrito de Cabeceira
    Bjs.

    ResponderExcluir
  10. Eu amei esse livro, foi uma das minhas melhores leituras esse ano, é muuuuito booooom!!!!!!!!

    Acho que é a primeira vez que eu visito o seu blog e pretendo vir mais vezes :)

    Beijokas
    Blog da Mylloka

    ResponderExcluir
  11. Nádia,
    até gosto de livro bobinho que faz um apanhado geral de tudo que já foi escrito, o que me chateia é uma escritora estreante que já começa planejando uma trilogia, preguiça
    disso...não vou dar força não!
    bjs
    Jussara

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, Jussara. Nem tinha pensado nisso, mas você tem toda razão. Ela foi pretensiosa sem ter bagagem para criar algo grande.
      Beijo.

      Excluir
  12. Eu ri do comentário da Jussara!!! rsrs... Eu adoro esses livros, para mim eles são como guloseimas altamente calóricas e deliciosas!!! Não alimentam, dão caries, mas de vez em quando é bom demais. kkkk...

    Estilhaça-me está na minha lista e talvez ano que vem eu esteja lendo \o/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahaha. Também acho que livros bobinhos são bons de vez em quando, mas não curti a cópia na cara de pau rs.
      Mas leia sim, talvez a trilogia completa consiga tirar essa primeira impressão. ;)
      Beijo.

      Excluir
  13. Oi,Nadia.
    Ainda não li este livro,ele esta na minha listinha.. espero lê-lo em breve.
    Adorei sua resenha!
    Beijo
    http://livrosleituraseafins.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Adoro comentários e respondo aqui mesmo, conforme eu vou lendo.
Gentileza gera gentileza.
=)