domingo, 3 de fevereiro de 2013

A Catedral do Mar - Ildefonso Falcones


- Pai, aonde você vai? - gritou quando já o tinha perdido de vista.
- Em busca da liberdade. - respondeu uma mulher que também observava a multidão espalhar-se pelas ruas da cidade. 
- Já somos livres. - atreveu-se Arnau a afirmar.
- Não há liberdade com fome, filho. - sentenciou a mulher.

A Catedral do Mar conta a história de Arnau, desde antes do seu nascimento, no  casamento de seus pais Bernat e Francesca. Seus pais eram servos e Francesca, sua mãe, é estuprada pelo Senhor de Ballera que reinvidica o direito à primeira noite. Francesca engravida, mas rejeita o filho Arnau. O pai, Bernat é quem cuida dele. O Senhor de Ballera leva Francesca para ser ama de leite do seu filho e ela acaba sendo estuprada pelos soldados do castelo e depois torna-se prostituta.


Bernat foge com o filho Arnau para Barcelona em busca da liberdade já que lá quem trabalhar por um ano e um dia, torna-se livre. Bernat consegue a liberdade, mas a vida em Barcelona não é tão fácil. Arnau cresce livre acreditando que sua mãe está morta e  torna-se devoto de Santa Maria desde porque seu pai diz a ele que a Santa Maria é mãe das crianças órfãs. Ele e Joan, menino que conhece nas ruas de Barcelona, tornam-se melhores amigos e passam chamar um ao outro de  irmãos.

Após a morte do pai, Arnau torna-se um bastaix na construção da Catedral do Mar, templo de Santa Maria do Mar. Bastaixos eram carregadores, muito respeitados, que levavam pedras para a construção das igrejas. Arnau apaixona-se por Aledis, mas o pai dela não aprova o casamento e ele acaba se casando com Maria. Mas ainda sente-se atraído por Aledis e essa paixão é incontrolável para os dois. Com medo de ser acusado de infidelidade e ser expulso da associação dos bastaixos, Arnau foge para a guerra e torna-se um soldado. Muita coisa acontece na vida de Arnau a partir daí: reencontros, perdas, decepções, mudança de vida...

***

A Catedral do Mar é um romance histórico com uma trama complexa e emocionante. Os personagens são muito bem trabalhados e cada um deles é cheio de virtudes e defeitos. O livro é muito bem escrito, narrado em terceira pessoa e a História de Barcelona é muito bem contextualizada. É um livro excelente, mas não me conquistou totalmente. Não consegui me apaixonar pelos personagens, especialmente Arnau. Não por ser mal escrito pelo contrário, sua personalidade é muito bem construída, mas ganhou minha antipatia. Achei-o fraco, covarde e manipulável em muitos momentos.

O livro me emocionou especialmente por mostrar a vida dura das mulheres na idade média, mas em alguns momentos fiquei cansada de tanta descrição da História de Barcelona. São páginas e páginas descrevendo as guerras, os conflitos entre as cidades-estado etc. Além disso a linguagem também é cansativa, principalmente quando os personagens usam pronomes pessoais na segunda pessoa do plural. Mesmo achando que teve momentos cansativos, é um livro muito bom que fala sobre fé, força de vontade, amizade, paixão e uma constante luta por uma vida melhor. Leiam!

Avaliação: ★★★★ 

Até a próxima.
Beijo.


Comente com o Facebook:

10 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Oi Nádia!

    Romance histórico é comigo mesma. Já tinha comentado quando você postou sobre esse livro antes, me chamou a atenção. Vou ler sim, só não sei quando ;)

    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Oi Nádia!
    Adoro históricos. <3 Mas é realmente complicado quando o livro é tão descritivo assim, eu odeio. :(

    Um beijo,
    Luara - Estante Vertical

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é. Podia ser bem melhor, mas me ansou um pouco.
      Beijo.

      Excluir
  4. Eu gosto de clássicos, mas assumo que fiquei um pouco confusa com relação a historia, acho que por isso não senti tanta vontade de ler o livro.

    Beijos ;*
    Pepper Lipstick

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse livro foi escrito há muito pouco tempo e não sei bem como a crítica o recebeu. Não é um clássico. Mas é um bom livro de ficção histórica. Mas eu recomendaria outros primeiro: os do Ken Follett e do Bernard Cornwell. :)

      Beijos.

      Excluir
  5. Adoro histórias que se passam em Barcelona, não sei o porquê, mas acredito que seja por causa de Zafón. Desde o início da sua resenha, fiquei curiosa, afinal, quantos estupros, hein?
    A história de Arnau aparenta ser bem interessante, um romance, mas com um toque a mais, nada no estilo de Nicholas Sparks. Algo mais aprofundado, digamos.
    Antes de sua resenha, eu nem sabia da existência deste livro, mas agora, preciso lê-lo e descobrir o que acontece com o garoto.
    Beijos,
    alanahomrich.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Oi, Nadia! Adoro livros históricos mas não consegui me interessar por esse. Achei a história um pouco confusa e apesar de adorar descrição, esse livro me parece ser cansativo. Não sei se leria ele. :/

    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Acabei de ler esse livro hoje e AMEI! Em alguns momentos as descrições históricas cansam, mas a história de vida e o envolvimentos dos personagens superam...agora vou ler A Mão de Fátima do mesmo autor. Natália

    ResponderExcluir

Adoro comentários e respondo aqui mesmo, conforme eu vou lendo.
Gentileza gera gentileza.
=)