domingo, 14 de julho de 2013

Lolita - Vladimir Nabokov


NABOKOV, Vladimir. Lolita. Rio de Janeiro: Editora Alfaguara, 1992. 391p. Título Original: Lolita.

Lolita, luz da minha vida, fogo da minha carne. Minha alma, meu pecado. Lo-li-ta: a ponta da língua toca em três pontos consecutivos do palato para encostar, ao três, nos dentes. Lo. Li. Ta. p.13.

Antes de mais nada, acho importante dizer que este não é um livro pra qualquer um. Não leia se você não sabe separar realidade de ficção, não leia fazendo pré julgamentos ou se não sabe apreciar uma boa construção de personagens, ainda que defeituosos e condenáveis!


Humbert Humbert, um homem de cinquenta e poucos anos, conta como se apaixonou e teve um caso de amor com uma menina de 12 anos, Lolita. Não há dúvida de que existe algo de errado com Humber Humbert. Ele é um homem obcecado por meninas bem novas. Fica claro como ele se sente atraído por tudo que Lolita tem de infantil e imaturo. Ele não a ama simplesmente, ele ama o seu corpo infantil e é obcecado por ela. Ela não foi a primeira menina por quem ele se encantou, mas a primeira com quem ele se envolveu de fato depois de adulto. Uma obsessão que se tornou uma paixão incontrolável.

Domingo. Volúvel, mal-humorada, alegre, desajeitada, graciosa com a graça mordente de sua corcoveante pré-adolescência, insuportavelmente desejável da cabeça aos pés (...) p.59.

Segundo Humbert, Lolita não é tão inocente assim. Ela é ardilosa, provocadora, precoce e segundo seu relato, não era mais virgem. É ela quem toma a iniciativa e o seduz. Mas é claro que isso não justifica a atitude de Humbert. Ela é uma criança e ele é o adulto, deveria se controlar. Além disso, como a história é narrada sob o ponto de vista dele, a forma como Lolita é descrita é influenciada pela sua personalidade. Ela era mesmo precoce e sedutora, ou essa era uma forma de Humbert justificar seu comportamento? Não é exatamente assim que a nossa cultura faz afirmando que meninas amadurecem mais rápido que meninos e assim as sensualiza desde cedo?

Que personagem é Humbert Humbert! Um dos personagens mais bem construídos que eu já li. Todas as nuances da sua personalidade, o cinismo, o sarcasmo são muito bem descritos. E ele é muito cínico! Ele sabe dos seus erros e tenta ludibriar o leitor e se justifica o tempo todo. Mas também é atormentado por sua obesessão, ele se repudia pelo seu ato.

Lolita é uma história de amor (?) doentia e sórdida. E é também um livro muito sensual, afinal é narrado pelo próprio Humbert.  Lolita é um romance psicológico, erótico e com elementos de suspense e policial que desperta vários sentimentos - repulsa, pena, simpatia, raiva, desconforto...pelos mesmos personagens. Personagens falhos e adoecidos, mas ainda assim fascinantes. O que torna o livro tão bom, além da escrita belíssima, estimulante e instigante é essa capacidade de fazer pensar e mudar de ideia várias vezes. A genialidade está na forma como Humbert manipula o leitor tentando fazê-lo se confundir e entender seus sentimentos. Em alguns momentos é fácil se deixar levar pelos seus argumentos que tentam fazer esquecer de que Lolita é apenas uma criança de 12 anos.

Como eu já disse aqui no blog algumas vezes: os russos são mestres no quesito construção psicológica de personagens. E este não foge à regra, apesar de ter sido escrito por um escritor russo residente nos Estados Unidos e em inglês. Alguns momentos no meio da história foram cansativos. Achei o início mais empolgante, mas ainda considero um excelente livro!

Avaliação: ★★★★ 


Filmes: foram feitas duas adaptações para o cinema de Lolita. A primeira em 1962 dirigida pelo genial Stanley Kubrick e a segunda em 1997 dirigida por Adrian Lyne com Jeremy Irons. Gostei mais do clima do primeiro, mas nenhum dos dois conseguiu despertar em mim os sentimentos que o livro despertou.



Até a próxima.
Beijos.


P.S. Resenha editada em 04/02/2016

Comente com o Facebook:

9 comentários:

  1. Eu achoq ue eu nao iria gostar mesmo de Lolita ainda estou aprendendo a apreciar o que vc chamou de: "uma boa construção de personagens, ainda que defeituosos e condenáveis!" só que com o George Martin kkkk. Andaram me falando mt bem desse livro, mas acho que ainda vai levar tempo para eu querer de fato le-lo. beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Martin também sabe fazer isso muito bem, e seus personagens são adoráveis! Ele é demais hehe. :)

      Beijo.

      Excluir
  2. As vezes, não sempre e nem constantemente, eu tenho vontade de ler esse livro... Ele e algumas histórias de vampiros do século XIX, um dia saiu do plano a prática... quem sabe?

    ResponderExcluir
  3. Oi, Nadia!
    Vou admitir que já tentei ler esse livro duas vezes e nunca passei das páginas iniciais (apenas de ter MUITA vontade de lê-lo). A sua resenha apenas aumentou minha vontade de ler Lolita, e fico bem chateada quando sei que não vou conseguir. Sabe quando a narrativa não cativa, quando fica cansativo e arrastado? Vou tentar uma terceira vez, mas se não der eu desisto por um loooongo tempo.

    Gih Alves || atualizado, comenta? http://jeito-inedito.blogspot.com.br
    {ah, eu tô seguindo. Se puder retribuir ficarei muito agradecida :D}

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahh, mas às vezes é questão de gosto mesmo e não má vontade. Acontece. As pessoas não gostam das mesmas leituras. Mas tenta sim, quem sabe você goste. :)

      Beijos.

      Excluir
  4. Tenho muita vontade de ler este livro, todas as resenhas que vi são tão profundas em questão dos personagens, que eu não tive nenhuma vontade de ver o filme primeiro. Adorei essa capa tbm! Mas acho que a primeira visão que tenho de Humbert é a de um pedófilo, porém não vejo resenhas usando esse termo para o personagem. Tenho muita vontade de ler para saber qual será a minha reação quanto ao personagem.

    xoxo
    http://amigadaleitora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Thaís.
      Sim, é um pedófilo, mas isso é só um termo. Eu como psicóloga entendo as pessoas como um todo e não as reduzo a um termo jurídico ou médico. Pessoas são seres completos com qualidades, defeitos, sintomas, histórias de vida etc. Mas se você quiser reduzi-lo ao que um juiz determinaria, chame-o somente de pedófilo.

      Quando sentir realmente vontade e achar que está no clima para a leitura, leia sim. É um ótimo livro.

      Beijo.

      Excluir
  5. Você disse duas coisas que concordo muito e que aprecio em Lolita: Humbert Humbert é um dos personagens mais bem construídos que já li, e que o romance é uma história de amor com forte teor psicológico. Essas características geralmente funcionam muito bem comigo, ou seja, tenho a tendência de gostar muito de enredos que unam personagens bem construídos e um quê psicológico no meio de tudo. Ótima resenha!
    Sabe que não gosto muito da capa dessa edição aí, da Alfaguara. É bonitinha, mas não acho que traduza bem a atmosfera da história.

    um beijão! Livro Lab

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também não gostei da capa. Gosto mais de uma anterior em que a Lolita está com óculos de coração. Bem mais interessante. Mas a minha edição é essa nova. :/

      Obrigada, Aline.
      Beijo.

      Excluir

Adoro comentários e respondo aqui mesmo, conforme eu vou lendo.
Gentileza gera gentileza.
=)