sábado, 9 de novembro de 2013

O Duque e Eu - Julia Quinn




QUINN, Julia. O duque e eu. São Paulo: Arqueiro, 2013. 288 p. Título original: The Duke and I.

O novo duque de Hastings é um personagem muito interessante. Ainda que seja de conhecimento geral que ele não se dava bem com o pai, nem mesmo esta autora conhece o motivo da desavença.
Crônicas da Sociedade de Lady Whistledown
26 de abril de 1813

O Duque e Eu é o primeiro volume da série de oito volumes Os Bridgertons. Cada livro narra a história de um dos oito irmãos Bridgertons. É um romance de época romântico, divertido, leve, sensual e perfeito pra descontrair. Dá pra ler rapidinho. O Duque e Eu conta a história de como Daphne Bridgerton, conheceu Simon Basset, o duque de Hastings e de como eles se apaixonaram.

Simon é uma homem complicado. Gago quando criança, Simon foi rejeitado pelo pai que esperava o herdeiro perfeito. Sua mãe morrera durante o parto no seu nascimento. Simon cresceu longe do pai, criado por uma ama e sempre se esforçou para melhorar e agradar o pai, mas sem sucesso. Simon acabou se tornando um ótimo aluno em Oxford e superou a gagueira. Quando o pai morreu, ele voltou a Londres e decidiu que jamais se casaria para não ter herdeiros e assim a herança do pai morreria com ele. Mas ao voltar para Londres, Simon terá que enfrentar as senhoras da sociedades loucas para apresentar suas filhas solteiras ao Duque de Hastings. Porém Daphne, irmã de seu melhor amigo, é a única que chamará sua atenção.

- Sei. Então você não tem a intenção de entrar para a sociedade. Estou impressionado com a sua determinação. Mas deixe-me lhe dar um aviso: mesmo que não queria participar dos eventos sociais, elas vão encontrar você.
Simon, que estava no meio de um gole de conhaque, engasgou com a tensão no rosto de Anthony quando ele disse "elas". Depois de alguns instantes tossindo, enfim conseguiu perguntar:
- Por favor me diga: quem são "elas"?
Anthony estremeceu.
- As mães.  p. 23

Daphne, a irmã mais velha entre as Bridgertons, é uma mocinha cheia de vontades e que sabe o que quer. Apesar de não ser a mais linda das mulheres, teve alguns pretendentes, embora não tenha gostado de nenhum. Ela quer se casar e ter muitos filhos como a mãe, mas com um homem de quem realmente goste. Daphne conhece Simon e se encanta por ele, mas quando descobre que ele é o amigo devasso de seu irmão mais velho, Anthony, desiste dele e os dois fazem um acordo: fingem que estão juntos para afastar os outros pretendentes dos dois. Porém, conforme se conhecem melhor, eles se apaixonam e não conseguem mais esconder um do outro o que sentem. Mas agora Simon terá que superar a rejeição do pai para poder ser feliz ao lado da mulher que ama.

O livro é leve e muito divertido. Daphne e Simon são inteligentes e cheios de diálogos irônicos e os personagens são psicologicamente complexos e bem construídos. O romance entre eles é de tirar muitos suspiros dos leitores. A narração é em terceira pessoa e a cada capítulo conhecemos As Crônicas da Sociedade de Lady Whistledown, uma coluna de fofocas escrita por uma colunista misteriosa que parece saber tudo o que acontece na sociedade londrina e não mede palavras para descrever os acontecimentos com muito sarcasmo. Eu me diverti muito lendo esse livro. Se você gosta de uma boa comédia romântica com um toque de sensualidade, não pode perder essa história. A escrita de Quinn é fluida, irônica e divertida e ela já foi comparada a Jane Austen. Eu amei. Mesmo com os clichês de histórias românticas de sempre. Que venham os próximos volumes.

Avaliação: ★★★★ 

Até mais.
Beijos e boas leituras. :**



Comente com o Facebook:

16 comentários:

  1. Agora sim eu sei do que se trata esse livro!!! E o pior, estou tentada a ler!!! Agora comparar a autora a Jane Austen acho errado e meio equivocado, a Jane escrevia sobre seu tempo e não sobre o passado, os romances da Jane não são "de época", ela não escrevia sobre o passado. Para ser comparada a Jane a autora deveria escrever com sarcasmo e ironia romances que se passem no inicio do século XXI.

    E sim, por toda a sua descrição esse romance entrou na lista!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo, Pandora. Elas escrevem coisas diferentes. Jane Austen escrevia sobre sua época e por isso mesmo entendia muito mais sobre os costumes da época. Julia Quinn pode ter se inspirado e ter sido influenciada por Jane Austen mas escreve sobre uma época passada e com toques bem século XXI. Mas é bem divertido e vale a pena.

      Beijos.

      Excluir
    2. Mas acho que o que compararam foi a escrita e não o gênero literário.
      E eu escrevi "de época" porque as pessoas tendem a chamar de romance histórico todo romance sobre uma época passada o que é um erro. Romance histórico envolve um momento histórico importante, descreve a política e a economia e seus personagens participam ativa ou passivamente desse momento.O Duque e Eu é portanto um romance de época, mas não histórico. É uma romance romântico que acontece no passado, descreve alguns costumes, mas não fala sobre a situação político-econômica desse momento.

      Beijos.

      Excluir
    3. Bom Pandora, acho que a Ironia não é a única característica da jane. Acho que se a Julia Quinn escrever personagens fortes e únicos com um enredo consistente ela pode ser comparada a jane.

      Excluir
  2. Sou maluca para ler esse livro mas o que me consola é que como não tem toda série traduzida ainda, né, não vou ficar na agonia de esperar lançamento ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem vinda ao blog. Eu já estou louca pra ler o segundo, mas vou ficar aflita esperando pela publicação dos outros.
      Beijos.

      Excluir
    2. E vi que deseja Os Sofrimentos do Jovem Werther. Quando tiver a oportunidade leia, é perfeito ;)

      Excluir
  3. Oi Nadia, tudo bem?
    Quando finalmente descobri sobre o que se tratava esse livro, fiquei louca para ler! Inclusive, já estou com O Duque e Eu aqui comigo, maaaaaaaas, como sempre, o tempo corre e eu não tenho ele para me ajudar. :(
    Mas ok, é uma leitura que está programada para as férias. <3

    Um beijo,
    Luara - Estante Vertical

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah que legal. Quero saber a sua opinião sobre o livro. :) Vou esperar pela sua resenha.

      Beijos.

      Excluir
  4. Nadia, minha chefa leu esse livro, e eu com muito preconceito rechacei ele kkkkkk. Mas sabe que sua resenha me fez ficar curiosa?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hehehe Que bom. Leia sim. Acho que você vai gostar.

      Beijos.

      Excluir
  5. Nádia querida simplesmente amei sua resenha. Confesso que assim que foi lançado fiquei desmotivada a ler pela série ser tão grande, mas a cada resenha que leio fico mais curiosa. Assim que eu terminar de ler os dois da Jane Austen que tenho aqui pretendo começar a ler essa série. Obrigada pela ótima indicação!!!!
    Beijinhos!!!!

    Leituras, vida e paixões!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou. :)
      Leia sim, Aline. Vale super a pena.

      Beijos.

      Excluir
  6. Ei Nádia

    Eu estava me sentindo uma et por não ter lido ainda nenhum dos históricos da Arqueiro, mas estou lendo no momento Desejo a meia-noite e estou adorando, vou querer este tbm depois. ^^
    bjs

    ResponderExcluir
  7. Ah como eu preciso lê-lo, faz muito o meu tipo! Eu sou aloka dos suspiros, livros assim são meus favoritos ... kkk

    xoxo
    http://amigadaleitora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oi Nadia, tudo bem?
    Confesso que sempre que passo nas livrarias e vejo essa capa, fico pensando em Jane Austen! Lendo sobre o que se trata o livro, na sua resenha, acabei por descobrir que realmente elas têm algo em comum, hehe.
    Que bom que gostasse da história, fiquei bem curiosa para lê-la também!
    Beijos,
    alanahomrich.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Adoro comentários e respondo aqui mesmo, conforme eu vou lendo.
Gentileza gera gentileza.
=)