sábado, 8 de fevereiro de 2014

O Chamado do Anjo - Guillaume Musso




A orla é mais segura,
mas gosto de lutar com as ondas.
- Emily Dickinson


MUSSO, Guillaume. O Chamado do Anjo. Campinas, SP: Versus, 2013. Título Original: Lappel de l'anje. 336p.

O Chamado do Anjo é um thriller policial de tirar o fôlego. Tudo começa quando Madeline e Jonathan se esbarram no aeroporto JFK e trocam de celular sem querer.

Madeline é uma inglesa que mora em Paris e tem uma vida aparentemente perfeita. Acaba de ficar noiva do seu namorado de quatro anos. Os dois estão comprando um apartamento e tentando engravidar. Ela é dona de uma floricultura que é seu sonho realizado. Jonathan é um chef de cozinha francês que vive em São Fancisco nos Estados Unidos.  É divorciado, mas passa bastante tempo com o filho Charly e o cunhado que é muito seu amigo.

Quando Madeline e Jonathan trocam de celular, eles têm o impulso de bisbilhotar a vida um do outro e descobrem que por trás das aparências se escondem segredos e mistérios que os deixam ainda mais curiosos. A vida deles não é nenhum mar de rosas. Os dois não se cansam até desvendar os segredos um do outro e acabam descobrindo que estão envolvidos em uma história que liga os dois a acontecimentos muito perigosos. Além disso os dois ficam cada vez mais envolvidos um no outro.

A narrativa é em terceira pessoa com narrador onisciente, intercalando capítulos que se passam em São Francisco e em Paris. A linguagem é fluida, a trama tem muita ação, romance e humor. Tudo acontece de forma muito dinâmica, o que permite uma leitura rápida.  O final é bom, mas não é dos mais surpreendentes. Eu já imaginava qual seria o desfecho. Os acontecimentos finais me deixaram grudada no livro, mas depois que o mistério foi resolvido a história ficou morna. Além disso eu me irrito com algumas traduções que insistem em usar termos que ninguém usa. Quem no Brasil diria que o traseiro de alguém é bonito, gente? É bunda, tradutores. Bunda! No máximo bumbum rs.

A capa é muito bonita e a contracapa também. A diagamação é simples, mas contém alguns detalhes diferentes. As folhas são amareladas. Cada capítulo tem uma epígrafe com uma citação de um autor diferente, que introduz os acontecimentos do capítulo. Apesar dos pontos negativos que apontei, o livro é bom, divertido e um ótimo entretenimento. Roí as unhas e dei boas risadas. Valeu a leitura.

Avaliação: ★★★


Até a próxima.

Beijos e boas leitiras. :**


Comente com o Facebook:

9 comentários:

  1. Adoro o gênero Policial, por isso fiquei curiosa pra talvez ler esse livro num futuro não tão distante (risos).
    Muito boa a sua resenha, sem contar detalhes do livro, mas conseguindo nos deixar curiosos pelo livro.
    Chorei de rir com a parte do "traseiro". De fato, é estranho dizer que o traseiro de alguém é bonito. Concordo que tem que ser bunda mesmo, bumbum. Traseiro é... vixe, estranho. ;)

    Sacudindo Palavras

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Erica. Bem vinda ao blog. Que bom que gostou da resenha.
      Vou visitar seu cantinho. :)

      Beijos.

      Excluir
  2. Traseiro me lembra bicho, ou então a traseira de um carro. pessoas de bunda, "cu" para alguns (kkkkkk), bumbum, glúteo (para os médicos normalmente), mas traseiro nem no pejorativo ... menina eu gostei muito do que vc escreveu no meu post "adultecer" me identifiquei com vc à beça. Caramba! estou em quarto no seu top comentarista! E olhe que eu estava evitando de vir pra não descobrir livros bacanas que me perturbassem o juízo para comprá-los.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Aleska. Não é? hehehe. Também me lembra carro rs.
      :) Arrasando nos comentários. ;)

      Beijos.

      Excluir
  3. Ei Nadia

    Eu não tenho ainda, mas quero muito este livro.
    Li o outro do autor, Garota de papel e adorei.
    Isso de já imaginar o final é meio brochante, vamos ver o que vou achar hehe.
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nanda. Super brochante! O livro é bom, mas os acontecimentos levam o leitor a descobrir tudo. Tira a graça do mistério. Prefiro ser surpreendida. :)

      Beijos.

      Excluir
  4. Oi Nadia, tudo bem?
    Que pena que o final é previsível, mas a trama parece ser bem interessante. Ainda não tinha lido nada sobre livros com essa proposta, no máximo "Fiquei com o seu número" da S.K. mas é totalmente diferente né? hehe.
    Parece ser uma boa leitura mesmo!
    Beijos,
    alanahomrich.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. É muito bom quando um livro nos faz ri, muito bom mesmo... Eu acabei de ler um dos livros da Mariam Keyes e o melhor mérito dela é esse: me faz da risada. E claro, da forma que você apresentou o livro, como sempre, me deu vontade de ir ali comprar e devorar!!!

    ResponderExcluir
  6. Amo livros policiais, mas sinto uma carência de finais surpreendentemente bons (exceto as obras da Agatha e Conan Doyle). Esse, despertou meu interesse, ainda que você citasse esse ponto baixo. Irei ler :)

    Carlos Magno,
    http://cantinadolivro.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Adoro comentários e respondo aqui mesmo, conforme eu vou lendo.
Gentileza gera gentileza.
=)