quarta-feira, 11 de junho de 2014

[Opinião] Como avalio os livros que leio

Algum tempo atrás, expliquei brevemente em um parágrafo como avalio os livros que leio nas resenhas aqui no blog, mas prometi explicar melhor em um texto. Bem, aqui estou. De vez em quando sinto necessidade de me explicar porque vejo muita gente criticar as avaliações dos blogueiros.

Bem, para começar este é um blog pessoal. Não tenho formação em crítica literária e não tenho a intenção de oferecer perfeição técnica. Eu uso meu blog para falar como me sinto em relação aos livros que leio, filmes e séries a que assisto. O critério é pessoal e muito influenciado pelos meus sentimentos em relação à obra.

O mais importante a respeito de como faço minhas avaliações é que eu não comparo obras de diferentes gêneros e que se dirigem a diferentes públicos alvos. Não dá pra comparar um livro juvenil a um Dostoievski (só porque meu livro favorito de todos os tempos é dele), por exemplo. Pelo menos não nos meus critérios. Tampouco comparo um romance escrito no século XVIII a um livro de ficção científica do século XX ou a uma ficção história escrita no século XXI. Como a minha amiga Pandora sempre diz, um livro fala muito mais da época em que foi escrito do que da época da qual se trata.

Algumas pessoas avaliam comparando tudo que leram. Não está errado. Só não é a forma como eu gosto de avaliar. Isso porque eu consigo tirar proveito e me sentir igualmente feliz lendo obras muito distintas. Eu levo em consideração o que a obra se propõe a oferecer e como ela responde às minhas expectativas. É por isso que eu posso dar 5 estrelas para um YA sem grandes pretensões e a um clássico.

Se eu busco um livro que tem como proposta unicamente entreter e eu me divirto muito com ele, dou a nota de acordo com o tanto que me diverti. Também levo em conta se ele é bem escrito, se os personagens são bem construídos e se a trama é convincente, mas o meu sentimento ao terminar o livro e a forma como ele me mantém interessada ao longo da leitura são os critérios mais importantes. Também acho importante avaliar de acordo com o público alvo porque a complexidade da história, da linguagem e da estrutura narrativa está intimamente ligada à idade de quem o autor quer alcançar.

A única coisa que resolvi fazer para diferenciar um livro que considero brilhante de outro que considerei excelente, mas não coloco no top de todos os tempos, é dar 6 estrelas em vez de 5. Dou 6 estrelas quando acho o livro perfeito, uma obra-prima.

Ah, como recentemente me rendi às Histórias em Quadrinhos, não posso me esquecer de dizer que nessas obras, a qualidade do traço do desenhista é um critério fundamental de avaliação.

Falei somente nos livros porque em se tratando de  filmes e séries, eu dou muita importância às sensações que a obra me proporciona e também aos sentimentos dos atores. Sou muito ligada aos figurinos, efeitos especiais, fotografia, som e trilha sonora e tenho muita vontade de estudar cinema. Então vou deixar para falar sobre isso quando eu tiver mais conteúdo para oferecer.

E vocês, como costumam fazer suas avaliações? Contem aí.

Beijos e boas leituras. :**

Comente com o Facebook:

6 comentários:

  1. Ei Nádia,

    ótimo texto e bem parecido com a minha forma de avaliar. Normalmente comparo com outros do mesmo gênero, realmente não tem como comparar um Percy Jackson com um Diana Gabaldon, é sem noção fazer isso hahaha.
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nanda. Que bom que gostou. :)
      Realmente é muito sem noção hehehe. Já vi pessoas dando nota baixa em livro de fantasia infanto-juvenil porque é bobo, infantil comparado com outros de fantasia adulta. Eu hein. Acho essa forma com nós avaliamos mais justa.
      Beijos.

      Excluir
  2. E o seu texto me fez pensar a respeito de como eu avalio os meus livros... Meus critérios são igualmente subjetivos, mas eu não sei defini bem em palavras quais são... preciso pensar a respeito... Mas, só sei de uma coisa, as vezes leio livros que são ovacionados pela critica e simplesmente detesto, as vezes leio livros como "Crepúsculo" que muita gente cuja a opinião respeito detesta e amo. E claro amo romance de bancas, tenho certa chatice com os históricos, mas com o resto me acabo.

    Pensando bem me ocorreu que quando um autor tem uma proposta clara para um público e executa ela muito bem para mim o livro é top, independente do gênero, ou seja, acho seus métodos de avaliação muito dignos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Pandora. :) Eu acho mais justo avaliar sem fazer comparações.
      Beijos.

      Excluir
  3. Bom Nádia, sempre que eu faço uma resenha eu tb avalio a construção do personagem e o enredo, mas sempre que posso também faço uns comentários nerds (qdo baixa a Historiadora pra ser mais exata) e relaciono com conceitos que estudei, pois como diz a Pandora (recitando) a literatura fala mais do nosso tempo do que do tempo narrado. Eu normalmente leio romances de aventura, históricos e os da faculdade, mas agora que estou de férias, estou pensando em procurar outros tipos de livros para ler. Livros pops são bons, mas é preciso diversificar de vez em quando né?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sempre diversifico. Não tenho um gênero único preferido e de forma alguma leio somente livros pops. Leio os clássicos e adoro ficção científica que é um gênero apreciado por poucos. Mas nunca comparo gêneros diferentes. Acho que não é justo avaliar sem levar em conta o que a obra se propõe.
      Beijos.

      Excluir

Adoro comentários e respondo aqui mesmo, conforme eu vou lendo.
Gentileza gera gentileza.
=)