quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Como Água para Chocolate - Laura Esquivel



ESQUIVEL, Laura. Como Água para Chocolate. Rio de Janeiro: BestBolso, 2014. Título original: Como agua para chocolate.

"Algumas vezes chorava sem motivo algum, como quando Nacha cortava cebolas. Mas já que ambas sabiam a causa daquelas lágrimas, não davam muita atenção. Faziam disso uma fonte de diversão, de modo que, durante a infância, Tita não fazia distinção entre lágrimas de alegria ou de tristeza. Para ela, rir era uma forma de chorar." p.10

"Como água para chocolate" se passa no México, no início do século XX. Conta a história de Tita que desde muito jovem foi avisada por sua mãe que nunca se casaria porque sendo a filha mais nova, deveria cuidar da mãe até sua morte. Desde pequena Tita gostava da cozinha e logo aprendeu a cozinhar. A empregada Nacha era sua amiga e lhe ensinou tudo sobre os temperos e as melhores receitas da cozinha mexicana, além de ouvir e dar conselhos sobre sua vida amorosa. Quando adolescente, Tita se apaixonou por Pedro, e o amor era recíproco. Mas sua mãe a proibiu de se casar. Pedro, então, resolveu casar-se com a irmã de Tita, Rosaura, para que pudesse sempre estar perto da sua amada. Essa foi uma escolha terrível para todos os envolvidos, principalmente as duas irmãs que sofreram muito. Tita ficou arrasada com a decisão de Pedro, e Rosaura que gostou muito da ideia no início, teve uma péssima vida conjugal ao lado do marido porque era claro que ele não a amava. A relação entre as irmãs, que nunca foi das melhores, foi completamente destruída e Tita entrou em depressão. A partir deste momento a vida de Tita parece que vai dar uma virada porque ela conhece  médico americano John que cuida dela e se apaixona por ela. Mas a história de Pedro e Tita não acaba assim. 

É importante destacar também a relação entre Tita e a mãe. A mãe de Tita é uma mulher egoísta, cruel, que maltrata a filha e as empregadas. Elas brigam desde que Tita era pequena porque Tita nunca aguentou calada a forma como a mãe a tratava. Mas também nunca teve coragem de dar um basta. Até mesmo depois da sua morte, a mãe de Tita continuou tendo um poder maligno sobre ela. 

Gertrudes, a irmã do meio também é um personagem muito interessante. Cheia de paixão e desejo, ela exerce sua sexualidade de forma livre e sem amarras e é a única entre as irmãs que consegue viver longe das amarras da mãe. É também aquela mais influenciada pelos poderes afrodisíacos das comidas de Tita.

Eu gostei muito do livro. A escrita da autora é belíssima. Adoro a forma como ela mistura as receitas à história e todas as metáforas entre os sentimentos dos personagens e os sabores e sensações causados pelas comidas. É um livro lindo! Mas eu odiei o casal principal. Já tinha odiado isso no filme, e aqui não foi diferente. Eu adorei Tita e como sua personalidade foi trabalhada, mas Pedro é irritante, infantil e machista. A escolha que ele fez foi estúpida, covarde e cruel com as duas mulheres. Ele ficou em uma situação muito cômoda casando-se com Rosaura e tendo Tita como amante enquanto que as duas mulheres sofreram cada uma à sua maneira. E ainda prejudicou a relação entre as elas. Pedro podia até gostar de Tita, mas de uma maneira bem torta. Não gostei do final da história, mas achei lindíssima a forma como foi narrado. Odiei as escolhas que os personagens fizeram, mas a história é interessante e eu adoro realismo fantástico. Adoro as explicações e acontecimentos mágicos intercalados como uma história que poderia ter mesmo acontecido. Esse é sem dúvida um dos meus gêneros literários favoritos. O livro é cheio de sensualidade, muito bem escrito e uma delícia de ler apesar de todas as minhas ressalvas. Recomendo muito o livro e o filme e vou experimentar algumas receitas. ;)

Avaliação: ★★★★

Até mais.
Beijos e boas leituras. :**




Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Adoro comentários e respondo aqui mesmo, conforme eu vou lendo.
Gentileza gera gentileza.
=)