quinta-feira, 6 de junho de 2013

O Menino do Pijama Listrado - John Boyne



BOYNE, John. O menino do pijama listrado. São Paulo: Editora Companhia das Letras, 2006. 187p. Título Original: The boy in the striped pyjamas: a fable.


"Não existem soldados bons", disse Shmuel.
"É claro que existem", disse bruno.
"Quem?"
"Bem, meu pai, por exemplo", disse Bruno. "É por isso que ele usa um uniforme tão imponente e é por isso que todos os chamam de comandante e fazem qualquer coisa que ele diz. O Fúria tem grandes planos para o meu pai juntamente porque ele é um soldado tão bom."
"Não existem soldados bons", repetiu Shmuel.  pág 124


Olá, voltei. Estou tentando retomar meu ritmo de leitura e voltar a dar atenção ao meu blog que ficou abandonado nos dois últimos meses. Eu me esforçarei bastante para isso. Assisti ao filme O Menino do Pijama Listrado no ano passado e gostei muito. Em seguida comprei o livro, mas enrolei muito tempo para ler. Mas esta semana uma amiga o recomendou, então eu me animei. E amei! Apesar de os personagens principais serem meninos de 9 anos, a temática é adulta.

***


Essa é a história de Bruno, um menino de 9 anos que se vê obrigado pelos pais a se mudar com eles, a irmã e a governanta para longe da casa que tanto ama em Berlin, seus amigos e escola. O pai diz que tem um trabalho muito importante para fazer e que o "Fúria" (como Bruno pronuncia Führer) tem grandes planos para ele. O pai é um soldado alemão nazista e a história se passa pouco antes da Segunda Guerra Mundial.

Bruno não entende nada do que está acontecendo. Ele acredita que o pai é um homem muito bom que não faria nada ruim para ninguém. Aos poucos Bruno começa a descobrir algumas coisas sobre as pessoas ao seu redor, mas permanece inocente a tudo. Descobre que o servente judeu tinha sido médico até que foi obrigado a largar a profissão e que alemães devem odiar os judeus. Mas ele não os odeia. Bruno vê pela janela um lugar cercado e dentro muitas pessoas vestidas de pijamas listrados e não entende porque eles estão sempre vestidos assim.

Muito insatisfeito com a nova casa em "Haja-Vista", como ele entende Auschwitz, Bruno resolve explorar o terreno e descobre o tal lugar cercado e lá conhece um menino judeu, Shmuel. Eles ficam amigos. Shmuel tem a mesma idade que Bruno, mas é um menino triste, magro, faminto e sem a inocência do amigo. Eles passam horas conversando todos os dias sem que ninguém saiba.


Aos poucos Bruno percebe que as pessoas à sua volta não são como ele pensava, que seu pai não é tão perfeito. Devagarinho a inocência de Bruno começa a se romper, embora ele não a perca totalmente até o fim da história. O mais bonito é acompanharmos os questionamentos tão puros e verdadeiros de Bruno sobre a forma com que os judeus vivem em Auschwitz.

A narração é em terceira pessoa, sempre sob o ponto de vista de Bruno e é muito interessante enxergar através de seus olhos inocentes. A escrita é fluida, muito gostosa de ler e o clímax é de tirar o fôlego.

Confesso que gostei mais do final do filme. Foi mais impactante. Chorei compulsivamente até dormir e acordei chorando. Nunca um filme tinha me envolvido tanto. Mas o livro é maravilhoso também! Recomendo muitíssimo! Leiam, assistam e se emocionem.

O filme, de 2008, foi dirigido por Mark Herman e estrelado por Asa Butterfield, Jack Scanlon, Zac Matton O'Brian, David Thewlis e Vera Farmiga.

Avaliação: ★★★★ 

Até a próxima.
Beijos.


Comente com o Facebook:

9 comentários:

  1. Engraçado vc falar nesse autor. Dentro em poucos dias postarei a resenha do Palacio de inverno dele tb. Eu vi o filme e realmente foi mt impactante. Eu não gostei pq oeio ver coisas tristes acontecendo com crianças, principalmente a perda da inocencia. Mas a amizade entre Bruno e Scmael é linda com certeza.bjin

    ResponderExcluir
  2. Oi Nádia!

    Como eu te disse, eu não li ainda por falta de coragem. Eu sei que vou chorar copiosamente. Mas a sua resenha me animou, quem sabe logo eu leio?

    Beijos!



    PS: não vi o filme também pelo mesmo motivo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia e assista sim Fê. A história é triste, mas muito bonita!

      Beijos.

      Excluir
  3. Ah, amo o John Boyne. <3
    Todos os livros que li dele me emocionaram DEMAIS! Ainda não li esse, mas ainda lerei. :)
    O filme é lindo!

    Um beijo,
    Luara - Estante Vertical

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia sim, Luara. O filme é lindo e o livro também.

      Beijos.

      Excluir
  4. Saudade de suas resenhas Nadia!!! Já ouvir falar muito desse filme e do livro também, mas ainda não tive impulso para ver ou para ler... Estou juntando coragem!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hehehe. Coragem! Vale a pena! :)

      Beijos.

      Excluir
  5. Amo esse livro!
    Muito lindo e também chorei horrores!
    Já assisti ao filme e também preferi o final dele.
    É muito raro eu gostar mais do filme do que do livro, esse foi uma exceção.

    Ótima resenha!
    Bjs.
    http://pensamentos-em-in-stantes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também é difícil eu gostar mais do filme, mas neste caso foi assim.

      Bem vinda ao blog.
      Beijos.

      Excluir

Adoro comentários e respondo aqui mesmo, conforme eu vou lendo.
Gentileza gera gentileza.
=)