terça-feira, 21 de janeiro de 2014

O Histórico Infame De Frankie Landau-Banks - E. Lockhart



LOCKHART, E. O Histórico Infame de Frankie Landau-Banks. São Paulo: Seguinte, 2013. Título Original: The Disreputable History of Frankie Landau-Banks. 340p.

Matthew tinha dito que ela era inofensiva. Inofensiva. E estar com ele fazia Frankie se sentir como se estivesse esmagada dentro de uma caixa - uma caixa onde ela deveria ser encantadora e sensível (mas não sensível demais); uma caixa para as garotas jovens e bonitas que não eram tão brilhantes ou poderosas quanto seus namorados. Uma caixa para pessoas cuja força não merecia ser levada em conta. p.212

Já vou começar a resenha recomendando muitíssimo este livro! Leiam! É demais!

Frankie era até um ano atrás uma daquelas meninas "invisíveis" na escola, mas nas férias de verão ela cresceu, ganhou corpo e de uma garotinha que passava despercebida, tornou-se uma garota desejável e cobiçada pelos garotos da escola. Até começou a namorar Mathew, um dos meninos mais populares e passou a conviver com seus amigos populares também. Eles estudam em Alabaster, um colégio interno de elite onde a maioria dos alunos tem muito dinheiro ou prestígio.

Em casa Frankie sempre foi tratada como uma princesinha, era até chamada assim, mas não gostava da forma como era vista pelos familiares, amigos e pelo namorado. Como uma menina bonita e frágil e só. Ela queria mais, queria que a enxergassem pelas suas ideias, reflexões e interesses. Ela é bastante influenciada pela irmã que é feminista.

O pai de Frankie contou a ela que, quando era estudante, fez parte de uma sociedade secreta que fazia algumas travessuras na escola, formada por alunos escolhidos a dedo, normalmente os oriundos das famílias mais ricas e/ou leias à escola . Frankie descobre que agora seu namorado faz parte dessa sociedade e seu amigo Alfa é o novo líder. Ela fica obcecada em participar da Leal Ordem dos Bassets, como é chamada, mas o namorado nem sequer conta a ela sobre a existência de tal Ordem, por mais que ela tente arrancar algo dele.

A amiga e colega de quarto de Frankie, Trish, é uma menina que não se incomoda com a maneira como é tratada pelos meninos nem em desempenhar papéis tipicamente femininos. Ela não questiona e está bem adaptada a à nossa sociedade machista. Frankie por outro lado, não se conforma com isso. Ela se sente rejeitada, sente que o namorado e os amigos não confiam nela, não a acham capaz de fazer parte do grupo por ser uma garota. Quando Frankie consegue encontrar o diário/manual perdido da sociedade secreta com instruções sobre como proceder, ela dá um jeito de fazer parte da Leal Ordem dos Bassets sem que os meninos saibam. O diário se chama O Histórico Infame.

Frankie olhou para o rosto dele. Ele gostava genuinamente dela, ela sabia. Talvez até a amasse. Só que a amava de uma maneira limitada.
A amava mais quando ela precisava de ajuda.
A amava mais quando ele podia definir os limites e fazer as regras.
A amava mais quando ela era uma pessoa menor e mais nova do que ele, sem nenhum poder social. Quando ele podia adorá-la por sua juventude e charme e protegê-la das preocupações da vida. p.307

O livro tem alguns clichês como a menina bobinha que aceita o tratamento dos garotos, os meninos populares da escola que têm todas as meninas aos seus pés,  a menina que se torna desejável de uma hora para outra e passa ter a atenção dos garotos etc, mas a trama se diferencia por tratar de questões feministas, da luta das mulheres por mais espaço e reconhecimento, pela luta dos jovens por seus direitos e por mudanças na sociedade. No início o livro é morno, mas vai ganhando vida, ação, significado e se torna uma história incrível, divertida e inteligente.

A narração é em terceira pessoa, mas os pensamentos dos personagens aparecem o tempo todo dando dinamismo à narrativa. A linguagem é fluida e fácil de ler e com alguns neologismos que fazem parte da forma como Frankie pensa, o que é bem interessante. É um livro voltado para o público jovem, mas que agrada leitores de todas as idades. Super recomendo!

Avaliação: ★★★★ 

Até a próxima. Beijos e boa leituras. :**

Comente com o Facebook:

6 comentários:

  1. Eu adorei a proposta desse livro. Feminismo em literatura juvenil é tudo de bom, é o que há. Problematizar a ordem, perceber suas fragilidades e construir uma heroína instigante assim muito me convida a leitura!!!

    Cheros Nadia, acho que você já me conhece e sabe do que gosto... Bem, geminianas e feministas se entendem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Pandora.
      Estou louca para ler sua resenha se você ler o livro. :)

      Beijos.

      Excluir
  2. Oi Nadia, tudo bem?

    Não conhecia o livro, mas certamente fiquei conquistada! Parece um enredo comum, porém, como você mesma disse na resenha, trata de alguns assuntos diferenciados, que o público jovem não está tão acostumado assim. Os quotes me deixaram com água na boca, vou procurar esse livro pra ontem! hehe.

    Beijos,
    alanahomrich.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É muito legal, Alana. Leia sim. Vou correr pra ler sua resenha quando você escrever hehe.

      Beijos.

      Excluir
  3. Fiquei com vontade de ler. Parece que apesar dos clichês é bem legal. e eu adoro sociedades secretas.

    Beijos,
    Carissa
    www.carissavieira.com

    ResponderExcluir
  4. Ei Nádia

    Adorei a resenha, eu tenho e não li até hoje aff. Preciso ler, mas o tempo não ajuda rs.
    bjs

    ResponderExcluir

Adoro comentários e respondo aqui mesmo, conforme eu vou lendo.
Gentileza gera gentileza.
=)